Index Labels

Guimarães pulsa ao ritmo do GUIdance entre 2 e 11 de Fevereiro

. . Sem comentários:
Guimarães acolhe, até 11 de Fevereiro, a 7.ª edição do GUIdance, um festival que tem colocado a cidade no roteiro internacional da dança contemporânea. A abrir um cartaz de nove espetáculos, o GUIdance recebe Russell Maliphant pela primeira vez em Portugal, num momento em que celebra 20 anos de carreira. Para encerrar com chave de ouro, o festival apresenta um espetáculo de Wim Vandekeybus, também ele a assinalar a notável longa existência da sua companhia fundada há 30 anos.

Destaque, ainda, para a presença de Tânia Carvalho, coreógrafa central no panorama da dança contemporânea em Portugal, com a estreia absoluta de uma nova criação e a reposição de uma peça do seu valioso reportório. À semelhança dos anos anteriores, os espetáculos desdobram-se entre o Centro Cultural Vila Flor e a Plataforma das Artes e da Criatividade.

O arranque do GUIdance está marcado para 2 de Fevereiro, às 21.30 horas, no grande auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF) com a estreia nacional de ‘Conceal/Reveal’, espetáculo que celebra duas décadas de colaboração entre o conceituado coreógrafo Russell Maliphant e o pioneiro designer de luz Michael Hulls, que juntos têm criado uma linguagem única entre luz e movimento.

Na noite seguinte, à mesma hora, no pequeno auditório do CCVF, o festival recebe a mais recente cocriação de João dos Santos Martins e Cyriaque Villemaux,’Autointitulado’, uma peça que estilhaça um conjunto de referências e memórias da dança.

No dia 4, às 18.30 horas, desta vez na Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade, a duplaJonas & Lander estreia no GUIdance ‘Adorabilis’, uma criação que se serve da riqueza da biodiversidade cultural e natural para criar uma dança-labiríntica.

Na noite de 4, às 21.30 horas, no Grande Auditório do CCVF, Tânia Carvalho apresenta, em estreia absoluta no GUIdance, a sua mais recente peça, ‘Captado pela Intuição’, um solo que se situa entre o abstracionismo lírico e o figurativismo. Coreógrafa em destaque nesta edição,Tânia Carvalho retorna ao GUIdance no dia 8, agora na Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade, com a remontagem de ‘De Mim Não Posso Fugir, Paciência!’ (2008), um espetáculo que explora a relação de interdependência entre a música e a dança.

A 9 de Fevereiro, no grande auditório do CCVF, Luís Guerra apresenta ‘A Tundra’.
Nova estreia nacional no dia 10, agora pelas mãos de Jefta van Dinther e Thiago Granato. Às 21.30 horas, a dupla traz ao pequeno auditório do CCVF ‘This is Concrete’, uma coreografia que se aventura na encenação de algo íntimo em que o público é desafiado a embrenhar-se no espetáculo.

Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário

Queres publicar as tuas notícias no IDS? Tens alguma sugestão para nós? Envia para indancingshoes@edance.pt

Publicidade

Contribui para o IDS

Andam a dançar por aqui

SEGUE O IDS

PUBLICIDADE