Index Labels

É mais fácil criar uma companhia de dança em Londres do que em Portugal

. . Sem comentários:
O português Ricardo Cecílio vai estrear dois trabalhos da própria companhia de dança em novembro em Londres, para onde se mudou há quatro anos para cumprir a ambição de começar a própria companhia.

"Aqui é mais fácil em termos financeiros, é mais fácil ter apoio do Estado. O Arts Council [organismo público britânico de promoção das artes] não se compara com o que há em Portugal", disse o jovem de 26 anos à agência Lusa.

As companhias portuguesas, lamentou, sobrevivem com apoios de mecenas empresariais, enquanto "outras fecharam por falta de financiamento".

Formado na Escola de Dança do Conservatório Nacional, Ricardo Cecílio, natural do Barreiro, saiu a primeira vez de Portugal com menos de 20 anos, em 2008, e conseguiu logo um contrato para a companhia nacional de bailado irlandesa.

Meses depois, voltou para Portugal e colaborou com várias companhias portuguesas, participou em anúncios publicitários televisivos e em espetáculos musicais, como ‘Fame’, ‘High School Musical’, ‘Peter Pan’ e ‘The Bird Cage’.

Em 2010, ainda foi finalista do concurso de televisão "Achas que Sabes Dançar?", mas no ano seguinte decidiu mudar-se de vez para a capital britânica.

"Queria progredir na carreira. Não sabia muito bem a língua inglesa e foi um bocado complicado, mas consegui sempre trabalho", garante.

Em Portugal, afirmou, "ia ser difícil montar uma companhia e era mesmo isso que eu queria. Sempre tive facilidade em coreografar e prefiro ensinar do que dançar".

Este ano montou a companhia Genesis Ballet, da qual fazem parte dois bailarinos portugueses, Leonor Henriques e Filipe Manteigas, e escreveu duas peças.

Duas peças da sua autoria, ‘Lost’ e ‘Boundless’, vão estar em cena entre 06 e 08 de novembro na Swiss Church Garden, em Convent Garden.

A primeira foi criada após um período em que se sentiu "perdido, meio deprimido" sobre o futuro profissional - algo, refere, "por que todos os artistas passam".

‘Boundless’ é uma "continuação" da história de William Shakespeare "Romeu e Julieta", cuja morte teria sido encenada para juntar as famílias de ambos, mas que acaba novamente em tragédia após uma traição de Romeu com um homem.

Para esta primeira produção, Ricardo lançou uma campanha de financiamento coletivo na Internet [https://www.kickstarter.com/projects/1646598268/genesis-ballet-double-bill-lost-and-boundless] para angariar sete mil libras (9.500 euros), metade do necessário para pagar a sala, bailarinos, roupa e equipa técnica.

"O objetivo não é ganhar dinheiro", adiantou, "é conseguir atrair mais patrocinadores para poder fazer uma digressão no próximo ano".

Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário

Queres publicar as tuas notícias no IDS? Tens alguma sugestão para nós? Envia para indancingshoes@edance.pt

Publicidade

Contribui para o IDS

Andam a dançar por aqui

SEGUE O IDS

PUBLICIDADE