Index Labels

Peça de bailarina sanjoanense premiada pela Sociedade Portuguesa de Autores

. . Sem comentários:
“Play False”, que passou em 2014 por S. João da Madeira, é melhor coreografia de 2015.

A peça “Play False”, um projeto da bailarina sanjoanense São Castro e do bailarino António Cabrita, foi distinguida esta segunda-feira pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) como melhor coreografia de 2015. Os Prémios Autores 2015 foram distribuídos no Casino Lisboa, com transmissão televisiva na RTP1.
“Play False” passou a 27 de junho de 2014 pela Casa da Criatividade. “Retrata o lado real e teatral da própria vida, a articulação do homem com os seus limites que facilmente o levam ao que é autêntico mas também ao falso, ou menos verdadeiro, e neste percurso encontramo-nos com a condição humana, o que somos e o que nos condiciona”, explicou na altura São Castro ao labor. A peça recorre a Shakespeare e a alguns dos seus personagens para mergulhar nessas questões e conflitos mentais e emocionais.

A distinção deixa os bailarinos “bastante satisfeitos”, como confirmou São Castro ao labor. “É apenas o segundo trabalho da nossa colaboração. Gostávamos que o prémio impulsionasse o nosso trabalho cá e no estrangeiro, mas também a própria dança e o trabalho dos bailarinos portugueses, que travam uma luta diária para arranjar trabalho”, comenta.

São Castro, mais conhecida como Suzy, começou a praticar ginástica na Associação Desportiva Sanjoanense (ADS) com apenas quatro anos. Na modalidade Ginástica Rítmica da ADS, entrou em competições nacionais e internacionais, passou pelos lugares de pódio e, em 1991, entrou para a Seleção Nacional de Ginástica Rítmica.

Quando saiu da seleção, aos 18 anos, iniciou a transição para a dança. Ingressou no Balleteatro – Escola Profissional de Dança e Teatro do Porto – e criou, em 2011, o projeto “António Cabrita e São Castro | acsc ”, cuja primeira peça, “Wasteland”, foi um sucesso nacional e internacional. “Play False” foi a segunda criação do duo, a que se seguiu, no passado dia 21, 22 e 23, “Tábua Rasa”, no Teatro Camões, em Lisboa. O projeto reúne São Castro e António Cabrita, dois criadores independentes, a Xavier Carmo e Henriett Ventura, da Companhia Nacional de Bailado, numa colaboração inédita em Portugal.

Fonte


Sem comentários:

Enviar um comentário

Queres publicar as tuas notícias no IDS? Tens alguma sugestão para nós? Envia para indancingshoes@edance.pt

Publicidade

Contribui para o IDS

Andam a dançar por aqui

SEGUE O IDS

PUBLICIDADE