Index Labels

Faustin Linyekula é o Artista na Cidade 2016

. . Sem comentários:
O artista congolês vai trocar o Congo por Portugal, onde apresentará e desenvolverá espetáculos em diferentes salas e espaços de Lisboa.

O artista congolês Faustin Linyekula está de volta a Lisboa, desta vez por um ano. Linyekula sucede ao autor e encenador britânico Tim Etchells como Artista na Cidade. A bienal vai já na sua terceira edição. A coreógrafa belga Anne Teresa de Keersmaeker foi a primeira convidada em 2012.

Em 2016, o bailarino, coreógrafo e encenador Faustin Linyekula vai ser lisboeta. Linyekula vai trocar o Congo por Portugal, onde apresentará alguns dos seus espectáculos em diferentes salas e espaços da capital. O congolês é ainda desafiado a criar novos projectos com artistas, estudantes e habitantes de Lisboa.

A bienal Artista na Cidade reúne todas as edições várias estruturas e entidades culturais que, em conjunto, apresentam ao público uma grande diversidade de propostas de um único artista estrangeiro. O projecto procura não só apresentar obras existentes, como dinamizar colaborações entre artistas e organizações lisboetas e o artista convidado.

Em Lisboa, Linyekula terá como parceiros, além da Câmara de Lisboa e da EGEAC (a empresa municipal que gere os equipamentos e a agenda cultural da autarquia), o alkantara festival, o Centro Cultural de Belém, a Companhia Nacional de Bailado, a Culturgest, o Festival Temps d’Images, a Fundação Calouste Gulbenkian, os teatros municipais Maria Matos e São Luiz e o Teatro Nacional D. Maria.

Portugal, e Lisboa especificamente, não é um lugar estranho a Faustin Linyekula, nascido em Ubundu, no antigo Zaire, em 1974. O bailarino, coreógrafo e encenador estreou-se na cidade em 2003 e desde então tem apresentado por cá vários dos seus projectos. A última passagem por Lisboa do congolês, cuja área de trabalho se divide entre a dança e o teatro, incorporando nos seus projectos campos artísticos como a música e o vídeo, foi no ano passado com Le Cargo, espectáculo que apresentou no São Luiz no âmbito do alkantara.

O seu percurso inclui uma dezena de criações que foram apresentadas no mundo inteiro, incluindo colaborações com a Comédie-Française, Raimund Hoghe e Ballet de Lorraine. No seu trabalho, aprofunda temas ligados à história do seu país e às suas vivências pessoais como contador de histórias: a memória e o esquecimento, a censura e o esclarecimento, o paradigma pós-colonial.

Nos últimos anos, Linyekula tem desenvolvido um trabalho de proximidade com artistas e comunidades menos favorecidas e mais afastadas das artes. Em 2006, criou na cidade de Kisangani, no Congo, o centro de residência Studios Kabako, com o objectivo de dinamizar a formação, a criação e o intercâmbio internacional. O projecto Pamoja, criado pelos seus estúdios e apoiado pela União Europeia, desenvolve a colaboração e o intercâmbio entre três países da região: Congo, Moçambique e Senegal.

Em 2007, Faustin Linyekula foi distinguido com o Prémio Principal do Prince Claus Fund for Culture and Development.

Fonte


Sem comentários:

Enviar um comentário

Queres publicar as tuas notícias no IDS? Tens alguma sugestão para nós? Envia para indancingshoes@edance.pt

Publicidade

Contribui para o IDS

Andam a dançar por aqui

SEGUE O IDS

PUBLICIDADE