Index Labels

À Conversa com...Sérgio e Rita "Tudo foi intenso, especial e único"

. . Sem comentários:

Sérgio Costa e Ana Rita Almeida foram parar às danças de salão há 11 anos por influência dos próprios pais, também praticantes, mas estavam longe de pensar que seriam o primeiro par português de danças clássicas a representar Portugal nos Jogos Mundiais 2013.

Depois da fantástica participação nos Jogos Mundiais 2013, o par regressa a Portugal, orgulhoso pelo resultado alcançado (18º lugar) e com motivação renovada para continuar a competir por Portugal.

Como surgiu a vontade de competir?
A paixão pela dança começou e a nossa professora propôs que entrássemos em competições... e assim aconteceu. Começamos a dançar pelos Alunos de Apolo de  Lisboa, em parceria com a Academia Gindança, de Famalicão, onde permanecemos até hoje, e onde temos feito surgir a dança na vida de outras pessoas.

Esta foi a primeira participação de Portugal nos Jogos Mundiais em Danças Clássicas, qual foi a vossa reação ao saberem que eram os escolhidos para esta missão?

Portugal já esteve presente na anterior edição mas apenas com as danças latinas. Este ano Portugal foi selecionado pela primeira vez para estar presente com as danças clássicas. Ficamos muito felizes e honrados por poder fazer parte deste grandioso evento que leva milhares de atletas e espectadores. Quando soubemos nem queríamos acreditar, era algo que queríamos muito e um evento onde só vão os melhores atletas do mundo.

A nível de treino, quais os principais cuidados na preparação para esta competição?
A nossa preparação foi idêntica à dos campeonatos do Mundo e da Europa, nos quais temos sido sempre os representantes de Portugal. Com o convite para os Jogos Mundiais intensificamos o treino e aulas de danças clássicas, bem como a preparação física, e tivemos alguns cuidados alimentares adicionais.

Conquistaram um honroso 18º lugar, foi ao encontro das vossas expectativas?

Foi um excelente resultado, porque além de alcançarmos o18º lugar, passamos uma eliminatória, estivemos nos quartos-de-final e tivemos a felicidade de poder dançar duas vezes para 13000 pessoas, num ambiente inesquecível.

O que vos marcou mais nesta participação?
Nesta participação tudo foi intenso, especial e único.
A forma como fomos recebidos nos aeroportos, no hotel, pelos voluntários, na competição, na rua, na cerimónia de abertura, pela segurança em qualquer parte que estivéssemos, a alegria dos espectadores, a realização de uma competição ao ar livre...
Foi uma experiência que nunca vamos esquecer, pois o que sentimos lá não conseguimos explicar a ninguém! 
Foi um evento em grande, não estávamos a contar com tanta gente a assistir aos Jogos Mundiais. Estavam 40000 pessoas a assistir à cerimonia de abertura e 5000 ficaram lá fora por já não haver bilhetes. Nos dias das competições de Dança Desportiva estiveram 13000 pessoas a assistir, a arena estava cheia.

E agora, sentem-se motivados para repetir a experiência daqui a 4 anos?
Esta participação motiva qualquer desportista e nós não somos excepção. Vamos trabalhar e fazer força para que Portugal daqui a 4 anos seja mais uma vez convocado para estar presente com as danças latinas e clássicas e claro, que nós sejamos o par selecionado.

Texto de Rita Bastos | eDANCE
Fotografia e Vídeo cedidos por Ana Rita Almeida e Sérgio Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário

Queres publicar as tuas notícias no IDS? Tens alguma sugestão para nós? Envia para indancingshoes@edance.pt

Publicidade

Contribui para o IDS

Andam a dançar por aqui

SEGUE O IDS

PUBLICIDADE